Nesses últimos dias, tenho vivido intensamente uma parte minha que considero tê-la herdado de meu pai. É a parte que me aproxima da educação, que me fez ter a petulância, um dia, de sentir-me uma iluminista. Foi ela que me fez ler tanto quando eu era mais nova. É ela que me dá curiosidade pra conhecer e aprender. Eu até digo que, em vez de língua materna, eu tenho língua paterna (e quando meu pai estava vivo, eu falava estranhamente correto). Eu fingia saber ler aos dois anos de idade (aprendi a fazê-lo com três). Uma das minhas brincadeiras favoritas era “escolinha” (eu era a professora). Fiz licenciatura na Universidade. Todos os meus irmãos também fizeram. Agora estou dando aulas. E acho que, por isso, resolvi fazer uma retrospectiva de como cheguei aqui. É o legado bom que meu pai me deixou, com o seu preço a ser pago, é claro. Mas nada deve ser barato mesmo. O que eu faço agora pra ser ouvida por esses adoráveis pestinhas?

*Encontrei a imagem do post no Google, mas não sei quem é o autor.

Ganhei 12 margaridas!

Dauri Batisti disse...

Lindo. Lindo patrimônio, tesouro inestimavel. Bonito. Cada um com sua história, cada história uma joia.

Beijo.

Elcio Tuiribepi disse...

Realmente teu pai foi feliz em lhe deixar este legado, ele é para a toda a vida...um abraço na alma

tb disse...

ô, bonitinha. fico feliz que esteja perto :)

LUiA disse...

Eiiii!
Eu sou uma amiga novata e você talvez ainda não tenha me visitado... Mas de qualquer forma peço licença para deixar um comentário.
Antes, gostaria de desejar Saúde, Paz e Amor no seu aniversário, que não sei se já passou ou não, pois seus posts não trazem a data.
Passa ano, entra ano e, que bom que a gente carrega as heranças das pessoas queridas não é?
Coincidência ou não, já fui professora há muitos anos atrás de crianças e recentemente professora universitária. Tanto com as crianças como com os adultos, aprendi que a primeira coisa para a gente ser ouvida é treinar a escutar bastante...
Porque ouvindo a gente deixa de ser profesora e passa a ser construtora, já que o aprendizado torna-se compartilhado!
Grande abraço e bom final de semana!

alvarêz drewïzqe disse...

não sei como lidar com pestinhas, já tentou uma caixa de chocolates?

EDER RIBEIRO disse...

Lendo o teu post vi o perfil da minha filha (ela tem só 8 anos), e hoje ela escreveu seu primeiro "conto", e isso é divino, quem dera ela qdo adulto me vê assim como vc vê seu pai. Adorei. Bjos.

Fernando Rozano disse...

guarda bem dentro de ti e espalha depois....lindo, Graziele. beijos.

Salve Jorge disse...

Também estou dando aulas
Rompendo jaulas
Que aprisonam percepções
Dando vazão a aspirações
Realidade de um sonho
Que a muito tempo eu componho
E que agora
Com ares risonhos
Consome minhas horas
Mas eu sem demora
Acho danado de bom...

Tâmara disse...

Flor, lindo oficio do teu ensinar!
beijos...

ลndreia disse...

É sempre bom olhar, recordar e agradecer por tudo aquilo que, de alguma maneira, nos foi dado! *

fao Carreira disse...

letras ..inteiras....mudando os dias...
bj

Flor disse...

Acho lindo, lindo ser educador!
É lindo ensinar.
E no seu caso, tá no sangue! =)
Que você seja muito feliz nessa estrada, e tenho certeza que em muitas vezes vai se sentir realizada.

Você leciona pra crianças?
=)
Beijo grande.